sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

PROCURA-SE

Caso conheçam ou estejam a associar o nome de Célia Figueiredo, jornalista não faço ideia de que jornal, mas que escreveu " O vício no comando da vida", num caderno de saúde que guardo desde Janeiro de 2006, relacionado com as dependências psicológicas como é o caso dos computadores, jogos virtuais, entre outros, agradecia que me informassem. Precisava do contacto ou dela ou do Jornal, acho que tenho um projecto interessante para ela.
Ou outro Jornalista, psicólogo ou alguém de outra área qualquer que esteja a estudar este fenómeno medonho com que nos deparamamos cada vez mais. Agradecia que entrassem em contacto comigo, aqui mesmo pelo Blogue.
Obrigada, é assunto sério, como em norma o é aqui no meu "caderno" virtual.
Thanks

10 comentários:

O ovo estrelado disse...

..wanted dead or alive!...bem mais alive e de preferência com saúde...eu no smeus tempos áureos era rato de biblioteca!...ora pode não ser a mesma pessoa mas o jornal da Região aqui de Oeiras e Cascais tinha um acoluna assinada por uma Célia Figueiredo/MJGS...caro Watson é tudo um questão de google para cá, google para lá, esta chama-se Célia Figueiredo e é jornalista
http://www.dorl.pcp.pt/cdulisboa/index.php?option=com_zoom&Itemid=55&page=view&catid=1&PageNo=3&key=52&hit=1


...então muitas prendas no sapatinho!?!? e o Natal foi bonito!? o meu foi como eu gosto...em família!

Ana disse...

Olá!

Pois a minha pesquisa não surtiu grande efeito, se bem que esta apesar de ter que agradecer, pelas coisas que andei a ver no link que me deste não tem o que eu queria ou a miopia têm-se agravado e eu não dei por nada.

Quanto ao Natal também foi como eu gosto em família. As Prendinhas não é o mais importante mas há sempre algumas no sapatinho.

Obrigada e resto de boas festas!!

O ovo estrelado disse...

...não! não é uma questão de miopia!..eu também não encontrei nada mais relevante que permitisse descortinar o contacto da dita jornalista. Apenas deixei a dica do Jornal da Região caso pretendesses uma abordagem mais directa. Talvez enviando um mail redação!? mas dúvido que eles te forneçam o mail dela, nonetheless não custa nada tentar!...meanwhile, para te facilitar a vida, no entremeio entre um duche rápido e a escapadinha fugaz para ir comprar o Expresso, fiz uma busca blitzgrieg e encontrei alguns links que "talvez" te orientem para algo mais substancial:

http://www.orleijp.eng.br/CompSociedade/I-WCS_2004_13.pdf
http://www.netaddiction.com/articles/newdisorder.htm#TITLE
http://dependencia-internet.tripod.com/
http://allpsych.com/journal/internetaddiction.html
http://news-service.stanford.edu/news/2006/october18/med-internet-101806.html
http://www.jillsextherapist.com/Articles/OnlineEpidemic.pdf
http://psychcentral.com/blog/archives/2006/09/26/the-reality-of-internet-addiction/
http://news.bbc.co.uk/1/hi/technology/7746471.stm
http://www.gamepolitics.com/2008/11/26/addiction-specialist-90-compulsive-gamers-are-not-addicts
http://www.theglobeandmail.com/servlet/story/RTGAM.20081022.wlgameaddicts22/BNStory/lifeFamily/home
http://www.alunos.dcc.fc.up.pt/~c0516003/seiartigo/artigo.pdf
http://esob.portal-escolar.com/4.pps
http://oglobo.globo.com/ciencia/mat/2008/03/24/psiquiatra_defende_classificacao_de_vicio_em_internet_como_doenca-426512598.asp
http://www.atlaspsico.com.br/INTERNET.htm

...até jazz!

Ana disse...

Bem não sei as consequências do que vou dizer mas começo a adorar este ovinho.

Existe uma associação em Portugal, que lida com essas problemáticas e no recorte de jornal que guardo há anos (2006) tinha lá o contacto e entrei em contacto com eles, pois tal como já vi outras instituições fazer, apresentam-se a uma comunidade, expõe os problemas que elas ajudam a resolver e mostram alternativas. A associação foi fundada no Brasil, mas existe uma representante em Lisboa e no Porto. http://www.jogadoresanonimos.org/japortugal.html
Que foi a reportagem que a tal Célia fez.
Só que eles não estão receptivos a ajudar, ou melhor, tal como já vi milhentas outras instituições fazerem eles não devem ou não querem, ou não estão preparados para chegar a estes jovens. Coisa que eu fiquei um tanto espantada confesso! Eu todas as semanas falo com os meus alunos sobre estas problemáticas, mas uma coisa sou eu que nunca vi ninguém cometer loucuras por causa da internet ao ponto de se classificar de um vício psicológico, e seria mais interessante um seminário em que um especialista na área o pudesse fazer melhor que eu.
Comigo é cada macaco no seu galho, se bem que por vezes lá salto ao "galho" dos outros para ver como vivem, mas não me atrevo a interferir. Por isso agradeço todos os links que enviaste porque me permite aprofundar a vida de outros macacos e ver o que já se vai fazendo nessas áreas mais profundamente, mas efectivamente o que pretendo é alguém disponível em Maio para poder expor esta problemática aos nossos meninos que estão a ser invadidos de computadores e nem sabem bem o que lhes fazer, e que consequências podemos vir a ter se eu os continuar a ver a não ir sequer aos intervalos para ficar a jogar nos seus computadores. Espero que na Primavera voltem a despertar as paixões e eles andem feitos borboletas. É uma fase dura para nós pela sua energia ao quadrado mas muito linda de ver. Muito melhor do que os ver com os olhos fixos, sem pestanejar em frente ao PC, sentados no chão da escola.

Mais uma vez obrigada.

O ovo estrelado disse...

Olá novamente...mais importante do que se gostar ou não acho que a tua ideia é boa! Aliás se aí na tua escola em Arcozelo existir algum psicólogo, ou se conheceres algum psiquiatra talvez não fosse má ideia experimentar um aula diferente em que, em vez de seres tu a explicares a ciência do dito "galho", seria outro a explicar a mecânica do mesmo! Isso costuma resultar pois os alunos têm uma tendência estranha em acreditar mais na pessoa que está ao lado do professor (dá-lhes a sensação que está mais bem informado!). No ensino básico por vezes convidam pais/avós com determinada profissão para explicar aos pequenos algo diferente do que a matéria chata e maçadora!...e dá menos trabalho do que preparar um seminário...mas se conseguires colocar de pé a ideia, desde já endereço os meus parabéns!...como deves imaginar dá um trabalho medonho preparar toda a -..ah! e existe outro pequeno pormenor...é necessário cativar a atenção e o interesse dos alunos para estarem presentes caso contrário o objectivo sai furado!...e que tal um trabalho de grupo para despertar essa vontade! No meu tempo era porreiro quando íamos uns para casa dos outros fazer trabalhos de grupo mas os tempos eram outros, não havia internet e o computador era uma máquina de escrever!!(agora estou a ser mauzinho!)...mas chega de "ideias inovadoras". Não sei se está dentro do âmbito dessa tal disciplina dos TIC...mas uma discussão no primeiro dia de aulas sobre a temática da gravação e upload de imagens/vídeos (sejam eles de natureza sexual, de actos violentos, etc.) talvez não fosse má ideia!? Esta gente não sabe que um simples gesto, pode marcar para sempre uma pessoa! E casos desses abundam por aí. Já imaginastes o balão de ensaio que constituiu o famoso Big Brother! E das consequências nefastas que isso provocou em quase toda a gente que por lá passou!?...será que alguma delas hoje pode sorrir!? Essa exposição pública que todos estranhamente anseiam, tem mais espinhos do que virtudes, mas a juventude(e não só) não entende ou não tem consciência do lado negro da devassa da privacidade, com tudo de nefasto que isso acarreta!...mais ideias luminosas!

E o que dizer do Second Life!?Pois é material não te falta!!...tempo é que nem por isso!...e não é que a chuva hoje não pára!!!!...

Ana disse...

Pois, eu acho que efectivamente vou ter que te explicar o que é isto das TIC e o papel de um professor de TIC.
Acho que não me tenho explicado bem, no que pretendo com isto.
Nós grupo de informática, que abarca todos os professores que trabalham com a conhecida Informática, mas que agora obrigatoriamente teve que se alargar para esta sigla TIC(informática é uma das áreas das TIC, porque TIC significa Tecnologias da Informação e Comunicação), estamos a organizar a Semana da Informática, que se realizará em Maio. Não é que não alertemos os nossos meninos todos os dias para estes problemas, mas tal como já te expliquei a ti e a ao fulano(a) da tal associação eles ouvem sempre com mais atenção quem está de fora. Temos efectivamente psicóloga na Escola, mas já tem trabalho que chegue e isto é macacada nossa. Eu sei que dá trabalho, sei que ninguém agradece, sei que não é fácil chegar a todos, mas tenta-se.
Eu tenho um Clube nas minhas horas de estabelecimento, um Clube de Informática, onde recebo meninos desde o 5º ao 10º ano de escolaridade. Onde cada vez fico mais assustada com estas iniciativas brilhantes e estes projectos fenomenais do ministério/governo que é construir a casa pelo telhado. E eu como até ainda tenho alguma paciência, apesar de nem sempre parecer aos graúdos, com os pequeninos que não têm culpa nenhuma dos "monstros" que lhes passaram para as mãos, tenho e muita. Falo com eles, mostro-lhes n de perigos, trago reportagens e vídeos sobre o assunto, e aqui não é só no clube mas sempre que necessário (aulas por exemplo), mas como é efectivamente no Clube que eles estão num carácter mais lúdico, mais descontraído, eu uso-o muito para isso. Não sei se sabes, ou se te esqueceste que essa ideia dos avós e pais e blablablab é gira em grandes cidades, aqui não sei se encontro algum militante que me venha salvar e não preciso de explicar porquê.
Aliás tenho que confessar que não fossem estes meninos a dar-me força todos os dias já tinha seguido outro caminho, pois se há coisa boa em trabalhar em escolas de locais tipo Arcozelo, é a relação e o tipo de meninos que ainda encontramos. Já os há muito maus mas incomparáveis ao que se vê por esse país fora.

Já agora não sei se reparaste na piada/brincadeira com a pistola de plástico que fizeram com uma professora e o que mais uma vez a Merda (desculpa a expressão), mas tou farta destes fulanos da comunicação social, passaram cá para fora. Ouvi a palavra brincadeira, ouvi que a professora saiu da sala mas até se dava bem com os meninos, ouvi do da associação de pais falar no uso do telemóvel, e não ouvi a palavra arma, mesmo que de plástico.....
Se isto não é gozar com toda a nossa dignidade, toda a nossa vontade de trabalhar alguém lúcido que me explique...
Eu convidava algumas pessoas como tu, que não faço ideia da idade mas já deve ser um ovo maduro, passar uma semana numa escola. Assistir a umas aulas de alguns cef's, assistir a aulas de piefs, ver o trabalho que se faz ao nível de psicologia numa escola, ver toda a papelada útil que preenchemos. Para depois poderem perceber que não há hoje ninguém a trabalhar bem nas escolas se não for por vocação.
Eu sinto-me uma missionária, muito mais que uma professora. Se não se parar JÁ para pensar no que está a acontecer à educação do nosso país temo muito pelo futuro desta Nação.
Sempre me disseram que nos esperavam tempos difíceis quando andava na escola, efectivamente chegaram e eu vejo-os a ficar bem piores.

Até gostava que alguém fizesse uma sondagem e visse quantas negativas foram dadas nas escolas públicas este primeiro período, compara-las com as do ano passado, e ver quais foram efectivamente as estratégias encontradas.
Se alguém fizer isso e disser a verdade dos resultados que obteve, muita gente vai ficar de boca aberta.
Eu só tenho pena de uma coisa, foi que durante estes anos todos nunca ninguém tenha posto mão na educação e agora até começou muito bem, mas está a terminar da pior maneira possível.
Muita coisa era necessária fazer e eu nunca reclamei, pois achei normalíssimo, como sendo o controlo das faltas, as aulas de substituição, etc. Efectivamente eu agora estou a pagar porque nunca ninguém fez nada, efectivamente não era difícil chegar a professor e agora eu que não tenho nem nunca tive nada a ver com o assunto não posso sequer ir com um familiar ao médico pois deixo de ser uma professora excelente. As aulas de substituição estão melhor mas ainda são uma boa treta, as faltas quem pode controla bem isso, não brinquem é com quem até está a começar nisto, que ou alinha na palhaçada ou faz as malas por respeito aos alunos e seus pais. Assim é que não dá. Nem imaginas a minha luta diária a pensar nisto, para além da minha formação de base, numa licenciatura em informática de gestão de 5 anos, vim parar ao ensino já pela porcaria que andava o mercado em 2003, e comecei a gostar muito do que fazia porque mais do que gostar de computadores, gosto do contacto com pessoas, gosto de dar e receber olhares, gestos, sei lá…. e isso o computador e quem trabalha só na área como muitos meus colegas dispensam bem. Investi muito dinheiro nesta carreira, e agora sinto vontade de deitar esse dinheiro fora ou alinhar nisto no sentido de missão e dar aos meninos da escola pública o que ninguém vai dar daqui a uns anos que é A Mão, Apoio a pais e filhos que não terão qualquer hipótese de ir para uma escola privada.
Isto é uma conversa que poderia demorar horas e horas, e como vez a minha cabeça é um devaneio total, misturo os assuntos todos. Perco-me na imensidão de coisas que me passam pela frente, na minha imensidão de emoções e sensações.

Quanto ao trabalho que isso possa dar a organizar, desde que todos se unam e colaborem tudo se consegue, caso contrário também não me chateio muito. Aos meus filhos e aos meus familiares e amigos pequeninos farei tudo para os proteger, cada um que faça o seu papel, se o souberem fazer claro. /*Depois também acontece estas reacções quando ficamos cansados e esbarramos em gentinha fútil, que também cruzam comigo muitas vezes e me arrepiam a espinha. Não sou racista, nem preconceituosa, mas futilidade, falsidade, orgulho exacerbado, e mesquinhez dão-me vómitos e é das coisas que me faz afastar a léguas de certas pessoas ou reagir tipo “toura” de signo que sou. Se bem que também já vou aprendendo a ser politicamente correcta, quando é estritamente necessário. */

Dar-te-ei novidades e terei todo o orgulho em enviar o convite da nossa Semana da Informática, para que possas ver o que se pode ou não fazer quando as pessoas querem. Isto porque não sei se tens noção é tudo feito em horas extraordinárias que ninguém nos paga ou agradece.

E eu tenho um outro problema é que não sou familiar de gente influente, senão já estava tudo tratado e ninguém me chateava tanto, assim recorro aos meus meios como sempre fiz. /*Agora é que acho que não percebeste mesmo, mas pode ser que um dia eu tenha oportunidade de te explicar melhor. Já me arrisco demais com a minha escrita ;)*/

kiss kiss

O ovo estrelado disse...

...mesmo antes de ligar o video para ver um filme e tentar fugir ao um trabalho sobre "desenvolvimento sustentável em cidades" apenas uma nota de pé de caixa: 38 acabadinhos de completar no dia de Natal! o meu nome é António, para os amigos Tony, e como já deves ter reparado dá a sensação que vivo agarrado ao computador...meia verdade, são só p9 horas diárias e alguns fins de semana! Olha por exemplo, estou de férias mas segunda-feira vou abrir uma excepção e ter uma "recaída de trabalho" - um problema hereditário de estar quase sempre a pensar no trabalho!
Ah! fiquei finalmente elucidado...informática de gestão hum!! eu é mais engenharia agronómica...estamos por conseguinte nos antípodas do conhecimento...mas por sorte, estou mais ou menos dentro do ramo! com a excepção de a minha alfaia ser o computador!Trabalho diariamente com uma coisa que talvez já tenhas ouvido falar, GIS, no português suave Sistemas de Informação Geográfica...que curiosamente é algo que é tão importante mas que pouco se houve falar!!...Curiosamente fui para Agronomia porque sempre me fascinou a vida do campo, a agricultura e afins...talvez seja o facto de quando era pequeno,após as aulas ser "empacotado" para aí na camioneta dos trabalhadores às sextas-feiras que chegava à vila por volta das 3/4 horas da manhã à sexta-feira) e depois eram quase 2/3 meses por ano no meio das vacas, dos carros de bois, no monte a roçar tojo, a desfolhar o milho, a regar, a vindimar e até a picar-me nos ouriços! No fundo constroí um sonho...e acabei como muito outros - emparedado com um computador à frente. That's life!

"...e como vez a minha cabeça é um devaneio total, misturo os assuntos todos. Perco-me na imensidão de coisas que me passam pela frente, na minha imensidão de emoções e sensações." au contraire ma chérie, o teu discurso tem um fio condutor, aliás, das poucas, muitas vezes que dialogamos e mesmo nos teus so called "devaneios" manténs uma coerência incrível!Ouvi à pedaço na RTP2 que "ser professor é a profissão mais ingrata que existe",è vero!Mas enriquecedora!...já imaginaste que todos os dias dás o teu melhor...para mim o orgulho maior é olhar para trás e ver obra! No nosso caso, nem sempre isso acontece porque muitas vezes os projectos ficam na gaveta porque não houve dinheiro para os materializar (típico por cá em Portugal)...no teu caso podes ver os teus projectos cada ano que passa. Acreditas que ainda me lembro da minha primeira aula na escola, do meu primeiro professor, e sinto vontade de agradecer aos meus professores da primária e do secundário tudo o que deram!?O mesmo já não posso dizer de alguns professores universitários!! Imagina daqui a uns anos quando passares por um ex-aluno teu já formado. O que é que vais sentir!?...Isso de ter apelido!Aí como aqui conta muito, mas nos tempos que se vivem é como as maçãs reluzentes que não sabem a nada e que se vendem nos hipermercados!...o mais importante é teres a noção que estás cumprir uma missão e a construir mentalidades, e talvez um dia alguém possa estar a escrever algures no ciberespaço..."sinto vontade de lhe agradecer"

Nota final: ...emigrar nos dias que correm é mergulhar no desconhecido!...mas também pode ser uma janela de oportunidade!

Post scriptum: 2009 vai ser um ano bom para quem conseguir manter emprego!...tudo se conjuga para tal! ah! só devo colocar os meus presuntos aí em Ponte de Lima na Páscoa com sempre, em Maio é quase impossível, mas fico sensibilizado com o convite; se estivesse aí era capaz de dar uma dicas aos teus alunos mas na aula! prefiro a intimidade da sala!

...fica bem!...em Portugal

O ovo estrelado disse...

...oops esqueci-me de uma coisa!..quanto ao novo episódio da Escola do Cerco, basta dar uma olhada no meu blog!achas que ia deixar escapar uma "borla" daquelas!...nem parecia meu!!eh!eh!

ALFF disse...

Bem, estou parva da minha vida juro!

Em primeiro porque nunca nos meus devaneios te dava essa idade, falas (mas isso também eu) como se tivesses mais uns bons anos em cima e só tens mais 10 que eu. Fantástico, sério, talvez por termos sido obrigados a crescer rápido eu falo por mim, pela educação que recebi, pelas responsabilidades que cedo os meus Pais me atribuiram. Por outro lado, nunca te imaginei ligado à agricultura apesar de ver que amas o campo, e trabalhando tu nessa área é muito provável que já tenhas contactado com um primo meu que trabalha nessa área, mas não me recordo o nome da empresa. É Eng. Florestal mas também acabou enfiado em frente a um pc na parte da cartografia e coisas do género, para fazer mapas para os GPS e essas modernices, tal e qual como tu.

Tal como tu recordo-me de todo o meu percurso escolar, desde o pré-escolar ao superior. E mais engraçado é agora trabalhar com ex professores que eu ainda hoje não consigo tratar por tu e sei que me compreendes, apesar de eles me estarem sempre a gozar. Efectivamente o superior tirando alguns bananas da nova geração de docentes universitários cheios de peito, adorei alguns professores. Para teres noção uma das minhas professoras universitárias de coração do 1º ano em Guimarães, Prof. de Tópicos de Análise e Estatística, deu em pleno café uma bofetada na cara a uma colega nossa por se andar a baldar e ninguém ficou ofendido porque ela conforme lhe deu a bofetada disse "Ai minha filha, tu vê lá se ganhas juízo". Isso já não se vê e não vai assim há tanto tempo, 10 anos sensívelmente.

Eu amo o meu País, as minhas raízes e daí a dificuldade de partir, já estive muito perto e recuo sempre, mas como também disseste enquanto tiver trabalho acho que lutarei por ser mais e melhor e dar a este país o valor que lhe retiraram. Se olharmos bem para a nossa história, para os relatos que ainda hoje se ouvem de portugueses no exterior, só nós é que não nos damos o devido valor.

Também espero continuar a ver-te por cá.

Infelizmente eu passo muitas mais horas no computador, hoje por exemplo já perdi a noção das horas, mas estou aqui desde as 14:30, logo é só fazer contas, coisa que assim rápido rápido não consigo :)

É um prazer enorme "falar" contigo, até porque essa tua imagem de "anjo" para mim tem um significado muito especial, pois eu adoro, faço colecção, ou melhor, tenho alguns. Ainda não me dediquei a valer à coisa, mas adoro porque sei que o meu está efectivamente sempre comigo, caso contrário aos tropeços que já dei já teria sido empurrada para lados bem complicados. Se há coisa de que me orgulho é que tenho sempre alguém, que de forma directa ou indirecta (o meu anjo) me dá a mão para levantar e seguir em frente.

Beijo enorme.....

Célia Figueiredo disse...

Numa pesquisa que estava a fazer, percebi que há já muito tempo me procurou... pois eu sou a jornalista Célia Figueiredo que escreveu o artigo "o vicio que comanda a vida" nos cadernos de saúde do público. Obviamente que não irei a tempo para o projecto que tinha em mente... mas quem sabe... caso queira falar diga-me para que email posso fdaze-lo. obrigada