quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Para dar a conhecer


Como querida prima que sou (do baterista) e ex professora babada (do vocalista) venho dar a conhecer aos belos frequentadores dos meus devaneios, este grupo de jovens que em vez de andarem atrás das míudas(por isso elas se queixam que há poucos), dedicam-se a estas coisas.


Metem-se a mexer nos instrumentos, tão novos, e depois é este sucesso. Mas apresentar-me primas que era bonito para ver a família crescer nickles.


Aceitam-se críticas e sugestões, desde que construtivas. Nada de falar mal, a criticar que digam o que falha para os meninos virem a ser muito famosos. Eu quero ir tomar banho de piscina à casa do primo :)


http://www.myspace.com/thekanguruproject (vá siga, tudo a ouvir o album preview para posteriormente comprar)


Vou escolher depois uma letra deles para publicar, ainda estou também em análise.

Divirtam-se na saída e na entrada do novo ano.

Em 2009 e todos os 2000 que aí vêm é que vão ser!!!!

13 comentários:

O ovo estrelado disse...

...só parei para te dizer desejar BOM ANO cheio de Anjos, Sonhos & Devaneios!...uma pitadinha de loucura nos últimos minutos (não te esqueças de acrescentar um segundo extra de doideira)e muita alegria!

Pensa positivo: segunda começa o massacre!

http://www.youtube.com/watch?v=YiRe6oveE7g


ps: depois comento o conjunto e o que vi no youtube da banda do teu primo!!

ALFF disse...

Esse pensa positivo é que me mata :D

Mas como diz o povo haja trabalho e saude para o aguentar.

Um Ano 2009 Excepcional para este Anjo disfarçado de ovo e toda a sua família!

Que venha 2009 que cá estaremos para o aguentar a ele e todos os seus meses, dias, horas e segundos com toda a esperança e com a certeza que fizemos tudo para ser cada dia melhor.

bjs

O ovo estrelado disse...

..prometido é devido! estive a ver no youtube algumas exibições da banda do teu primo e o primeiro comentário versa o seguinte, one, tu tre: na bateria encontramos uma pessoa demasiado séria para um instrumento tão divertido...não é bem um estilo Charlie Watts mixed com Nick Mason mas talvez dado o estilo de música, que tal colocar uns pózinhos de Ringo Star e tirar os óculos!!No caso de não ser possível colocar lentes, definitivamente, óculos escuros..tem duas vantagens: confere uma certa aura de mistério que combina bem com a seriedade do estilo e por outro disfarça alguma eventual timidez e medo do palco! Também podíamos entra numa onda de Dave Grohl ou de um excêntrico Mike Portnoy mas isso requer uma certa dose de loucura & génio! Quanto aos restantes elementos da banda, deviam mexer-se mais e interactuar, pelo menos a vivo. Nota-se que ainda estão na fase inicial...un peu trop statique, mas com o tempo e confiança poderão libertar-se. Gostei da composição da guitarra apesar de ser mais baseada em secções ritmicas, talvez um elemento extra no line-up com um pouco mais de liberdade para explorar as six strings fosse a especiaria que falta!? Mas esse facto também vai depender dos objectivos e do som&estilo que a banda pressegue. Gostava de os ouvir tocar umas covers, sabes de alguma na net!? Quanto à qualidade do som...não se pode exigir muito de "gravações caseiras". O disco desconheço...mas se querem a minha opinião, Alemanha, Suécia e países nórdicos são locais para gravar demo-tapes fantásticas, que diga a banda portuguesa mais conhecida além fronteiras...não! não são os Madredeus nem a fantástica Mariza..cara mia! São mesmo os Moonspell...sabias que a familia do Ricardo Amorim (guitarrista) é toda de Moreira do Lima!?!...como o mundo é pequeno...e que a primeira viola que ele tocou ainda a conservo!?...também foi a minha, é verdade!E pronto foi a análise de um leigo na matéria!...

PS. por falar me mundo pequeno por acaso conheces o Prof. Puga!?

ALFF disse...

Bem eu seria incapaz de fazer qualquer tipo de observação, pois tirando as aulas de música do 5º e 6º ano nunca senti este apelo para a música ao contrário de muitos elementos da minha família. O meu primo baterista e o irmão (professores de música), uma prima em Bordeaux que toca piano, acordeão, canta enfim dedicou toda a sua formação à música (também professora de música em França), quase todos os meus primos por parte de mãe tocam instrumentos, desde concertina, viola, castanholas, eu sei lá!! Como deves imaginar se for em dia que a malta esteja para aí virada tudo toca e dança. Vários elementos da minha família dedicam-se ao Rancho Folclórico de S. Martinho da Gandra. Eu aprendi a dançar com eles, sei dançar, mas o vira só mesmo em privado e se tiver inspirada. :D
Pela descrição do baterista não poderia deixar de elogiar a tua perspicácia e tacto na observação de pormenores. Também acho que têm um caminho longo a seguir mas vontade e dedicação não lhes falta. É um grupo novo e com elementos novos ainda, pelo menos os dois que conheço. Eu como não iria saber criticar, apenas me cabe divulgar e apoiar este tipo de iniciativas, pois sempre levaram isto muito a sério, pelo menos do que sei dos meus primos, investiram tudo neste gosto pela música, coisa que sabemos não ser fácil em lado nenhum muito menos em Ponte de Lima, pois apesar de “Terra rica da humanidade” é rica mas não enriquece todos na mesma proporção.

Quanto ao Prof. Puga se é o mesmo divertido (crítico, ironicamente divertido e mordaz) que foi comigo à manif com o seu magnífico megafone, está comigo num conselho de turma e vive rodeado de uns fulanos meio estranhos que ambicionam ser electricistas, sim sei quem é :)
Já agora posso saber o porquê da pergunta do Puga?!

Fernanda disse...

Um Bom Ano para ti, Ana. O autor da apresentação gráfica do álbum da banda do teu primo é o meu filho Hilário Vilas Boas. Beijinhos

O ovo estrelado disse...

...pergunta-lhe quem sou eu! ai levou o megafone!?.estou mesmo a ver!!


uma dica...TONY!

ALFF disse...

Ah já vi a resposta do Puga, sory, mania de responder assim sem pensar, a quente :D

Nem sempre já faço um esforço muito grande por ouvir até ao fim!! :D

Nelson_Loud disse...

Ovo estrelado, obrigado pela resposta. Foi bastante construtivo, e demonstra ter bastantes conhecimentos, no que à música diz respeito, no entanto há sempre um mas, certo?

- Há algumas coisas que disse que não estou bem de acordo e como primo de quem sou tenho que deixar aqui a minha defesa :)

Começando então...
"Quanto à qualidade do som...não se pode exigir muito de "gravações caseiras"
Realmente foi toda uma gravação feita em casa, logo o termo caseiro aplica-se bem, mas pode induzir em erro. Quando se fala em gravação caseira há uma certa tendência em pensar em algo menos bem conseguido. Por falta de equipamento profissional, ou por falta de uma sala com boa acústica, ou até mesmo por falta de experiência e/ou amadorismo das pessoas que estão a gravar. No nosso caso posso dizer que isso não aconteceu. Foi tudo gravado em casa, mas felizmente ao longo de (+/-) 5 anos fui adquirindo material profissional, e eu mesmo dediquei-me muito a estudar gravação, captação, produção musical etc etc. Além disso ainda tenho a vantagem de ter um irmão mais velho que é Designer de Som Profissional.
A mistura e masterização foram feitas por uma outra pessoa que tem bastante experiência no assunto. É importante, também saber até onde podemos fazer um bom trabalho, e no caso da mistura e masterização convém que seja uma pessoa com bastante experiência.
De qualquer forma, você (ou qualquer outra pessoa), pode ouvir o álbum e achar que apesar disto tudo que eu disse, o álbum soa mesmo a música gravada em casa, e respeito essa opinião. Mas penso que hoje em dia, uma gravação feita em casa já não é o que era há uns anos atrás e por isso, ao sabermos que determinado álbum foi gravado em homestudio, devemos sempre dar o benefício da dúvida e (se possível) ouvir o álbum, abstraindo-se um pouco desse pormenor para avaliar todo o resto.

Pegando na sua frase, ”mas se querem a minha opinião, Alemanha, Suécia e países nórdicos são locais para gravar demo-tapes fantásticas”, daqui dá logo para perceber que sabe do que fala, mas, lá está o mas mais uma vez, esses países que refere, primeiro são bons não para gravar demo-tapes, mas sim álbuns profissionais, e álbuns com uma muito boa perspectiva de edição a nível internacional. E, como penso que disse algures no seu comentário, tem muito a ver com o estilo praticado, e dentro do nosso estilo esses países não são de todo a nossa praia. São muitíssimo bons para metal, ou metal extremo. Como deu o bom exemplo dos Moonspell, e aproveito também esse exemplo para dizer que eles gravaram fora pela primeira vez um álbum, já as demo-tape, foram gravadas cá. (Não tenho certeza disso, esteja à vontade para me corrigir se for o caso).
Quero também aproveitar para dizer que felizmente mesmo dentro desse estilo que referiu, já temos alguns bons estúdios cá em Portugal. Um deles bem perto daqui, em Braga. Acho que um pouco de publicidade nunca fez mal a ninguém (e tem de haver espírito de entreajuda no meio musical), no caso de estar interessado siga este link (http://www.myspace.com/ultrasoundstudios), penso que qualquer pessoa que não conheça, vai ficar surpreendido pela positiva.
(Desculpa a publicidade prima, mas nunca se sabe se não andam por cá uns metalheads a navegar nos teus devaneios, e isto lhes venha a ser útil :D).

Aqui achei excelente a crítica, ”Também podíamos entra numa onda de Dave Grohl ou de um excêntrico Mike Portnoy mas isso requer uma certa dose de loucura & génio!”
Pois é engraçado esses dois exemplos :) São realmente dois baterista que eu aprecio, e são minhas influências. São também dois bateristas que eu dificilmente achei ver juntos na mesma frase! Diria que 98% das pessoas que gosta de um não gostam do outro, devido talvez a um ser muito técnico e o outro não… de qualquer forma fico feliz por haver alguém além de mim que gosta de ambos. Ambos servem um pouco de exemplo para mim na forma como trabalho. Nas músicas acho que dá para notar claramente isso (ou então não lol), falo a nível musical apenas. Já agora deixo-lhe aqui dois nomes que na minha opinião são muito interessantes, e superam esses dois. Ao estilo de DG temos o Josh Freese, e ao estilo do MP temos o Gavin Harrison, e aqui a palavra génio aplica-se mesmo, no caso do Portnoy anda lá perto, mas ainda lhe faltam algumas coisas. Se tiver curiosidade veja essas referências. :)

->”Quanto aos restantes elementos da banda, deviam mexer-se mais e interactuar, pelo menos ao vivo. Nota-se que ainda estão na fase inicial...un peu trop statique, mas com o tempo e confiança poderão libertar-se.”
Sei que (e infelizmente) a sua opinião foi baseada no que viu no youtube, baseou-se naquilo que está disponível, e realmente baseado no que se vê lá, a sua opinião está correctíssima! Por isso espero que um dia nos possa ver ao vivo, um concerto completo (e a prima já tem free pass ;) )
Quanto a mim e aos meus colegas deixe-me só esclarecer que não estamos de todo numa fase inicial. Não temos ainda nenhuma carreira sólida, mas 2 de nós já tocamos ao vivo há pelo menos 10 anos. O vocalista tem menos tempo de palco e nota-se realmente um pouco isso, de qualquer forma também já não está numa fase inicial. Mas volto a dizer, que pelo que se encontra presente no youtube, é mesmo isso que transparece. Estamos de acordo ;)

->”Gostei da composição da guitarra apesar de ser mais baseada em secções rítmicas”
Pois, aqui neste caso penso que só mesmo ouvindo o álbum completo. De facto a guitarra têm muita base rítmica, mas não só! Tem os tais elementos rítmicos, como tem também alguns solos bem oldschool, em termos de acordes passamos por vários, desde os mais usuais maiores e menos, passando por diminutos, aumentados, os de sétima da dominante também são uma constante, e por vezes até temos mesmo pequenas partes exóticas. Mas isso só ouvindo mesmo o álbum para poder notar tudo isso. (Peço desculpa pelos termos usados, sei que para muita gente são desconhecidos, mas achei necessário usá-los).

->”talvez um elemento extra no line-up com um pouco mais de liberdade para explorar as six strings fosse a especiaria que falta!?”
Engraçada essa sugestão. Já experimentamos isso mesmo! Não resultou infelizmente…
Não por falta de talento/capacidade da pessoa escolhida, mas penso que tem a ver mesmo com a nossa música. Duas guitarras acabaram por saturar demasiado, apesar de tentarmos ter uma guitarra mais minimalista.

Agora às opiniões relativamente a mim…
->”na bateria encontramos uma pessoa demasiado séria para um instrumento tão divertido...”
Realmente a bateria como toda a percussão são instrumentos bastante divertidos, e uma das razões que me levaram a optar por ser percussionista foi essa mesma.
Quanto ao eu ser sério, sei que só tem os vídeos do youtube para se basear, e como tal só me resta concordar. Mas mais uma vez sugiro que se possível veja um concerto nosso completo. Podia estar aqui a justificar o porquê de nos tais vídeos estar assim tão sério, mas seria desinteressante, lol.

->“que tal colocar uns pózinhos de Ringo Star e tirar os óculos!!No caso de não ser possível colocar lentes, definitivamente, óculos escuros..tem duas vantagens: confere uma certa aura de mistério que combina bem com a seriedade do estilo e por outro disfarça alguma eventual timidez e medo do palco!”
Vou ter em conta essa opinião, mas acho que aqui a minha prima me poderá ajudar mais, as mulheres tem mais jeito para esse tipo de coisas lol.
Quanto à timidez e medo do palco, não sei se foi só um exemplo, ou se foi essa a impressão que ficou de mim! Se foi, apesar de tudo que os vídeos possam parecer, digo que nada tem a ver. Simplesmente não tenho nervos! Quando subo a um palco vou sempre muito seguro daquilo que vou fazer. Mas tendo em conta mais uma vez os vídeos, talvez sejam aqueles em que participamos num programa de TV, e realmente havia o desconforto das câmeras, e essa foi realmente uma experiência nova para todos, e havia um ligeiro desconforto, é verdade. Mas uma pessoa habitua-se a isso também (cof cof).
Julgo, estar tudo “respondido”. Espero que a minha opinião não seja interpretada por ninguém como alguém que se sentiu ofendido, e teve necessidade de vir responder. Nada disso, como a opinião d’ O Ovo Estrelado foi muito construtiva, e bastante pormenorizada, achei que merecia resposta, para me/nos poder conhecer melhor, e quem sabe talvez assim tenha mais vontade para comprar o álbum lol.
O nosso obrigado pela Sua opinião!

Agora à parte do que respondi ao Ovo estrelado, queria aproveitar e acrescentar umas linhas já que a prima deu esta propaganda :D
Apesar de o projecto ser recente, todos os elementos já tocam música há alguns anos, e já tivemos/temos também outros projectos. E lá vai mais um pouco de publicidade aos nossos projectos paralelos.
Eu participo também em: http://www.myspace.com/musicaprofana
O Pedro participa também com: http://www.myspace.com/insidefourwalls
O Nuno com: http://www.myspace.com/dreamyouth
No caso de alguém se interessar, é só seguir os links.
Quero também dizer que este álbum não tem em vista estar no top de vendas nacional, nem nada que se pareça, é uma edição bem pequena. Foi feita com muito prazer, mas também com muito trabalho e dedicação, e posso até mesmo dizer (exagerando talvez um pouco) contra tudo e todos.
A música em Portugal está no estado em que está, e só resta ir tentando contrariar isso como podemos. Em Ponte de Lima também não há muita ligação à música ao vivo (falando mais em termos de música rock) o que torna as coisas ainda mais complicadas. Mas isso pode ficar para uma outra discussão.
O primeiro álbum vai sair agora, e já temos músicas novas suficientes para uma nova edição, não baixamos os braços nunca!! :D
Obrigado pelas opiniões, e obrigado prima pela divulgação. :)

O ovo estrelado disse...

...fico feliz por ter lido o meu breefing muito sumário acerca do viosionamento da vossa banda no youtube. A questão periquelitante acerca das "gravações caseiras" deve-se ao facto não ter o vosso cd mas apenas os links do youtube dai a dificuldade em poder apreciar o trabalho de mistura em estúdio. Quanto às referências...eu apenas citei dois bons exemplos e mantenho a firme convicção que o epíteto génio se aplica ao Mike, aliás não sou so eu queo digo, mas isso é entrar em devaneios. O importante foi dito e não há nada que me agrade mais do que ver um grupo de jovens para quem a música é algo enriquecedor...isso de estarem no Top, como é vulgar dizer-se só com um empurrão financeiro e estar no lugar certo com as pessoas certas. ou então ter um "padrinho"! Já agora vocês costumam actuar a solo ou como banda de apoio!?...Quanto a estúdios de gravação em Portugal sou a pessoa menos capacitada ou mais incompetente para discutir isso,mas se acha que por cá é possível ter uma boa master-tape força...o que é nacional é bom!
Metalheads, heabangers & Associados todos unidos um dia voltaremos a ser respeitados! Confesso a minha declinação para o Lado Negro da Música mas fique sabendo que ouço com a mesmo gosto "In Your Face" dos Children of Bodom como o Concerto n.º 3 en Ré Menor Op.30 de Rachmaniov ou mesmo Moonlight Serenade do Glenn Miller...é tudo uma questão de ritmo e arranjo das notas na pauta!
Quanto a "espero que a minha opinião não seja interpretada por ninguém como alguém que se sentiu ofendido, e teve necessidade de vir responder"...No away Jose...até gostei! aliás o debate de ideias é sempre preferível e benéfico...obrigado pela resposta pelo menos aprendi qualquer coisa!

PS: boas, referências as que citou! e já agora as minhas desculpas à Ana pelo diálogo cruzado!eh!eh!

PUBLICIDADE: Testament, Judas Priest, Megadeath - 17 de Março, LX Pavilhão Atlântico

ALFF disse...

Estou a adorar também espero aprender! Primo sory não posso ser madrinha, já vou ser do casório da minha mana, tua prima :)

Mas vou ter que ver do que falam e responder melhor aí a umas coisas mas estou a adorar, continuem....

Sintam-se em casa, daí eu ter colocado isto aqui. Só espero é que não sejas o único Ovinho, mora lá malta do NEGRO e do BRANCO da música, TB ADORO VERMELHO dizer o que pensam :D

Como diz o Ovo o que é Nacional é bom, e o primo terá todo gosto em te vender em primeira mão já a partir de Janeiro :D

Depois volto à carga já tou mega atrasada :S

ALFF disse...

Óbvio que queria dizer bora lá malta, em vez de "mora lá" do post anterior,

Pessoal façam devaneios construtivos em prol de algo aqui no meu blog, da música claro, que é o caso aqui, e mostrar o que temos de bom por cá :D

Eu cá prefiro a Deolinda :D adoro a Deolinda ihihihihihi fon fon fon

Guilherme Faro disse...

Aninha, já vi o Nelson tocando bateria na casa dele (uma das vezes que fomos lá com vocês) e digo que ele já passou de "promessa" para se tornar uma realidade. Apesar de não ouvir o estilo de música que eles fazem, é de se admirar pelo conjunto da obra, mesmo numa gravação caseira. Me manda o e-mail do Nelson, Dra Aninha. :)

ALFF disse...

Concerteza Sr.Dr.Juíz Gui de Faro mais pro Viana do Castelo-Ponte de Lima :D

O mail do Nelson será reenchaminhado para o seu email.

Mas pode avisa-lo e à sua banda que se forem ao Brasil - Rio de Janeiro de preferência eu vou junto. Eu depois desta divulgação é o mínimo que eles podem pagar :D