sábado, 27 de março de 2010

Ano internacional da biodiversidade











Desabafo - As três alegrias do ensino

As três alegrias do ensino

Não se fala suficientemente da alegria de ensinar. Muito se comenta a questão dos professores insultados e espancados mas muito pouco - ou mesmo nada – dos professores felizes. Esqueçamos então por um momento, as tristezas e os horrores, muito reais, do meio escolar para pensarmos nos instantes luminosos que transfiguram a aula.

Pois que há milagres, quotidianos ou raros, mas igualmente muito reais, na relação pedagógica. Todos os dias a água pode ser transformada em vinho, os surdos começarem a ouvir, os coxos a andar.

Basta que a palavra seja entendida, que a confiança seja restabelecida e tudo se torna possível.

Três alegrias distintas iluminam o rosto do professor segundo uma hierarquia que percorre os graus da inteligência.

A primeira alegria, elementar, provém da lição bem recitada, do nome retido, do facto registado, da data aprendida. Quando o esforço de memorização é conseguido logo um sorriso de esboça e a esperança renasce. De repente, sob o nosso olhar, o espírito conquista a matéria, a humanidade eleva-se e o progresso faz do outro algo mais do que um ciclo absurdo. É certo que é preciso esperar alguns dias para constatar com segurança a vitória sobre a dispersão e o nada. Em circunstâncias excepcionais, é alguns meses mais tarde que poderemos verificar se a memória resistiu à degradação da energia espiritual e que o aluno recorda ainda o título do livro lido no primeiro trimestre ou os protagonistas do mito grego contado antes da Páscoa.

A segunda alegria, superior, é a que resulta do esforço de compreensão. A inteligência foi solicitada e respondeu. A partilha do sentido teve lugar: quer se trate de uma demonstração de geometria ou da explicação de uma lei natural, a maravilha, sempre inesperada, da interacção aparenta-se a um segundo nascimento. A maiêutica, de que Sócrates se havia feito especialista, é a arte de clarificar a verdade na alma do discípulo. E quanta emoção ao surpreender numa fisionomia até então fechada o despertar da razão!

A terceira alegria, suprema, resulta do esforço de invenção. Enquanto o professor se regozija pelo simples facto de ser compreendido, eis que um acontecimento insólito acontece: uma ideia brota, uma intuição desponta. O golpe do génio atravessou então a espessa atmosfera da sala. Algo de novo apareceu no mundo. O jovem deslumbra o mestre que, incrédulo, esconde o rosto. E toda uma existência de labor pedagógico se vê assim recompensada por essa surpresa divina.

Cristina Robalo Cordeiro

Vice-reitora da Universidade de Coimbra


Após ter lido o correio electrónico enviado pelo amigo JP Chantre, já há alguns dias, com este texto fiquei a meditar nisto e apesar de andar sem cabeça para grandes meditações ou elaboração de devaneios mais arrojados, resolvi publicar este texto no qual concordo em parte.

Todas as alegrias aqui apontadas foram sem dúvida o que mais me apaixonou quando comecei a leccionar, tendo eu sempre negado querer ser professora pois eu gosto muito do mundo empresarial e de todo o reboliço que isso sempre me provocou nas ideias e nos meus planos de futuro.

Contudo, quando comecei a dar aulas todos estes pormenores aqui deixados pela Vice-reitora da Universidade de Coimbra, Cristina Cordeiro, despertaram em mim esta paixão. Contudo porém eu ainda não cheguei lá e a realidade com que os professores do ensino não superior se deparam são bem diferentes das nossas, questões bem mais complexas, como sendo a questão afectiva, social e multicultural que normalmente passa ao lado desses docentes. Complexas mas muito apaixonantes para mim, confesso.

Hoje a escola, reflexo da sociedade em que vivemos e das medidas tresloucadas com que nos vemos todos os dias em mãos obrigados a fazer, começam a matar esta paixão.

Reina a insatisfação pois é cada vez maior o desinteresse, o respeito, o fluir de ideias e o querer ser mais e melhor.

Eu também tive a idade dos meus alunos e não vai há tantos anos assim e lembro-me perfeitamente de sempre me ter sido passada a mensagem de querermos ser os melhores, não só pelos meus pais como pelos meus professores. Tirar 13, 14 era razoável porque havia os 18 e 20 em número considerável.

Felizmente há excepções que nos fazem manter a quentura no coração, mas a continuar assim duvido que haja médicos com compaixão, professores com dedicação e qualquer outro funcionário público ou privado que se vê aniquilado todos os dias por ideias anormais e pouco brilhantes, onde reina a lei de olhar para o próprio umbigo e sem margem para tempo de ver o que vai em redor.

Não sendo eu muito alta, felizmente consigo ainda ver o que vai no andar de baixo e espreitar para o andar de cima.

Esta semana decorreu na escola onde trabalho a Semana Aberta, é uma escola Secundária e foi bonito de se ver toda a comunidade da escola a mostrar e dar a conhecer a todos o que de bom se pode fazer ainda hoje nas escolas, e como ainda temos alunos brilhantes.

Sei que não temos mais alunos brilhantes, pois muitos infelizmente não têm em casa quem oriente, não conseguem ter visão de futuro porque tudo que se lhes apresenta nos vários órgãos de comunicação social é mau.

É urgente dar esperança a estes jovens, motivá-los. Mas vos garanto que não é fácil quando chegam a casa e a barriga não fica satisfeita, os pais não têm tempo, dizem, para os ouvir e na rua vêm o crime imperar, os maus sair vitoriosos, a justiça a não funcionar, os alunos mal comportados serem protegidos em detrimento dos bons e aplicados.

Enfim, gostava de manter a chama acesa mas não sei se consigo lutar por muito mais tempo pelos vários alunos que todos os anos se me apresentam e se têm transformado “amigos”. Vejo-os ansiosos por melhorar mas encontro-os na maior parte das vezes já tarde, ou com vícios instalados demasiado difíceis de ultrapassar e como a minha Mãe sempre me diz, não consigo mudar o Mundo sozinha por muito que tente fazer bem o meu papel.

terça-feira, 23 de março de 2010

Não resisto e partilho aqui com vocês o slide das fotos do Paulo

Um cheirinho a Primavera

Toutinegra de Barrete Preto

Vejam quão bela é a natureza! Vamos preservá-la e não pensar que isso é dever dos outros apenas. Cada um que faça a sua parte e tudo será melhor. Reflexo disso é a quantidade de lixo recolhida na acção do fim de semana Limpar Portugal.

Parabéns ao colega Paulo Pinto pelo seu magnífico trabalho.

Vejam as suas fotos e quão belas são.

sexta-feira, 19 de março de 2010

JOSÉ "TROCAS-TE"

Primeiro-ministro apresentado em cerimónia pública como José "Trocas-te"

Fica marcada a apresentação do primeiro- ministro, precisamente, no momento em que José Sócrates se preparava para apresentar a Estratégia Nacional de Energia, no Pavilhão de Portugal, no Parque das Nações, em Lisboa. José Sócrates dirigia-se para o palco, quando a voz off masculina, que apresentou o chefe do governo, anunciou que a palavra iria ser dada ao primeiro-ministro de Portugal, José "Trocas-te". Foi formal e forte, sem qualquer hesitação, que a voz off anunciou o primeiro ministro pelo nome que o programa Contra-Informação dá a Sócrates. A iniciativa terá apanhado de surpresa os elementos do gabinete de Sócrates, que foram indagar o ocorrido. (in RTP)


Quem diz a verdade não merece castigo. Sempre ouvi dizer isso :)

quarta-feira, 17 de março de 2010

Isto é que ser determinado :D



Se conseguirem arranjar o contacto da empresa eu também gostaria de fazer umas demolições :)

Empresas com operações ilegais em off-shores vão ter perdão fiscal - Economia - PUBLICO.PT


Andava à procura desta notícia com a qual tive o azar de acordar depois de ter estado a trabalhar até cerca das 02h da manhã para atempadamente cumprir tudo que nos pedem hoje nas escolas para ontem.

Volto a perguntar-me se estarei louca!

Cito um comentário que expressa bem o que sinto:

"Miguel Sousa , Lisboa. 17.03.2010 13:02
Ai ai
O quê??? Perdão fiscal? Paga-se 5% sobre o capital, tipo bula papal, e pronto, está arrumado? Estamos a brincar? Estamos mesmo a brincar, ó senhor ministro. Isto é mesmo grave. Está a perdoar um crime contra a pátria!!!! Não se pode perdoar essa escumalha que foge com o dinheiro que nos roubam, para paraísos fiscais. Essa gente merece ser alinhada no Campo Pequeno, se não se puserem ao fresco a tempo, quando lá estiver o pelotão."

Onde é que andam os fulanos que organizaram o 25 de Abril?! Até quando o povo fica sereno a ver esta palhaçada?

Estarei eu louca ou estes ladrões de gravata deviam ir todos para uma ilha deserta!

Vejam esta documento e deliciem-se com as despesas!


Não entendo isto, a revolta cresce a cada dia. É uma vergonha ver como nos roubam todos os dias e ainda temos que ouvir os ladrões da Europa dizer que este PEC é corajoso.

Pois uma coisa é verdade, é necessário muita coragem para roubar desta maneira.
Eu reduzia-lhes a despesa tão bem!

Lembro-me de o meu pai me contar, no que diz respeito à racionalização de bens que o Salazar dizia em relação à produção dos fósforos, que em vez de aumentar o preço diminuia-se-lhes à cabeça.

Assim como aprendi muito bem uma frase que os meus pais sempre me diziam que é “Guarda do riso para a chora!”, coisa que este povo e principalmente os nossos governantes nunca souberam. É pena não haver mais pais como os meus, podia ser que esses animais tivessem vergonha ou não conseguissem pousar a cabeça no travesseiro por tamanha roubalheira a este povo.
A frase do que é Nacional é bom, só é visto pelos de fora, nunca reconhecido pelos nossos líderes ou lá que porcaria é aquilo que se vê naquela bela sala, chamada assembleia, de uns tipos a gritar e nada solucionar.

Aqui neste pedaço de terra reina o chico esperto!

Semana da Floresta e da Água

.: Município de Ponte de Lima :.

Para quem quiser assistir parece-me mais uma bela iniciativa do Município Limiano.


domingo, 14 de março de 2010

Acompanhem e divulgem

Este ano lectivo, tenho estado pela primeira vez com este projecto. Na Escola Secundária Júlio Dantas, fiquei entre outras tarefas com a Coordenação do Eco-Escolas.

O Eco-Escolas é um Programa Internacional que pretende encorajar acções e reconhecer o trabalho de qualidade desenvolvido pela escola, no âmbito da Educação Ambiental/EDS. Fornece fundamentalmente metodologia, formação, materiais pedagógicos, apoio e enquadramento ao trabalho desenvolvido pela escola. http://abae.pt/programa/EE/inicio.php

Como tal aderi também ao EcoEscolas em rede o qual tenho estado a dinamizar em nome da Escola Secundária Júlio Dantas.

Inscrevam-se e adicionem a nossa Escola para que possam ver e comentar o trabalho que temos estado a dinamizar.

terça-feira, 2 de março de 2010

Bem Criativo

Matemática do Mendigo

Partilho com vocês um email que recebi que me deixou mega fula porque contas são contas e não há s's no meio dessa contabilidade. Não me que alongar neste devaneio para não insultar ninguém mas é apenas um dos pequenos exemplos daquilo que gestores/ governantes ineficientes permitem!

Ainda me falam em rendimento social de inserção e tretas do género. Hoje quando ouvi no rádio enquanto ia para o trabalho, dizer que o Sr. João Jardim irá recorrer aos desempregados para reestruturar a Madeira, logo me veio a questão, e Porquê só agora? Não fazem falta o ano inteiro? Não são precisos no Continente? E os que recebem rendimento social de inserção? Pagam com serviços aquilo que recebem? E porque é que só alguns pagam impostos?

Não me apetece expor aqui as minhas tristes contas mensais para não ferir ninguém, mas isto dá-me vómitos, este país de bananas...

Aqui vai então o email, reflictam e pensem bem nisto:

Matemática de mendigo. Com esta crise...

Nunca tinha pensado nisto. Vou mudar de profissão. Se um dia destes me encontrarem no semáforo, não se admirem... e já agora deixem mais de 0,10€.

MATEMÁTICA DE MENDIGO

Preste atenção nesta interessante pesquisa de um estagiário de Matemática :

Um sinal de trânsito muda de estado em média a cada 30 segundos (trinta segundos no vermelho e trinta no verde). Então, a cada minuto um mendigo tem 30 segundos para faturar pelo menos € 0,10, o que numa hora dará: 60 x 0,10 = € 6,00.

Se ele trabalhar 8 horas por dia, 25 dias por mês, num mês terá faturado: 25 x 8 x 6 = € 1.200,00. Será que isso é uma conta maluca?

Bom, 6 euros por hora é uma conta bastante razoável para quem está no sinal, uma vez que, quem doa nunca dá somente 10 centimos e sim 20, 50 e às vezes até 1,00.

Mas, tudo bem, se ele faturar a metade: € 3,00 por hora terá € 600,00 no final do mês, que é o salário de um estagiário com carga de 35 horas semanais ou 7 horas por dia.

Ainda assim, quando ele consegue uma moeda de € 1,00 (o que não é raro), ele pode descansar tranquilo debaixo de uma árvore por mais 9 mudanças do sinal de trânsito, sem nenhum chefe para 'encher o saco' por causa disto.

Mas considerando que é apenas teoria, vamos ao mundo real.

De posse destes dados fui entrevistar uma mulher que pede esmolas, e que sempre vejo trocar seus rendimentos na Panetiere (padaria em frente ao CEFET). Então lhe perguntei quanto ela faturava por dia. Imagine o que ela respondeu?

É isso mesmo, de 35 a 40 euros em média o que dá (25 dias por mês) x 35 = 875 ou 25 x 40 = 1000, então na média € 937,50 e ela disse que não mendiga 8 horas por dia.

Moral da História :

É melhor ser mendigo do que estagiário (e muito menos PROFESSOR), e pelo visto, ser estagiário e professor, é pior que ser Mendigo...

Esforce-se como mendigo e ganhe mais do que um estagiário ou um professor.

Estude a vida toda e peça esmolas; é mais fácil e melhor que arrumar emprego.

Lembre-se :

Mendigo não paga 1/3 do que ganha pra sustentar um bando de ladrões.

Viva a Matemática.

Que país é esse?

CUIDADO QUE AINDA FALTA O RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO... PAGO POR TODOS NÓS...