quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Magalhães

Para quem não conhece aqui fica o link:
http://www.instituto-camoes.pt/cvc/navegaport/d28.html

Depois de lerem perceberam que este Senhor irá ficar muito chateado pelo Exmo. Sr. Eng. Sócrates ter colocado o nome dele na baila sem pedir autorização. Até porque para ser uma causa nobre teria que ser pensada. Mas como vem sendo hábito no nosso país as casas começam-se pelo telhado.
É bonito de ver as escolas apetrechadas de novas tecnologias, sem terem técnicos para lhes fazerem a manutenção, sem professores preparados para de um dia para o outro ficarem a dominar uma ferramenta/tecnologia para a qual nunca tiveram formação. Quadros Interactivos, Portáteis para todos os alunos inclusive o Magalhães para os meninos que dizem que é giro para "jogar jogos" e "ir à Net". É também engraçado quando se ouve dizer na televisão que terão que ser os pais dos alunos a restringir sites, a bloquear programas para os meninos utilizarem os pc's fora da escola. Quantos pais saberão fazer isso? Será mais uma tarefa para os profs de informática fazerem, ou estes não precisam de preparar aulas, materiais e afins? Dentro da sala de aula serão os professores a monitorizar o Magalhães, quantos professores estão preparados? Já ouviram falar em segurança/insegurança na Internet? Já ouviram falar dos perigos que representam para as crianças e jovens, que não têm pais atentos, das problemáticas do mau uso da mesma?
Os únicos a ter formação foram os coordenadores de TIC que tiveram uma formação de 2 dias e ficaram certamente aptos para formar os seus colegas. Sim porque eles têm imenso tempo para isso pois não têm já uma série de pc's nas escolas para gerir, programas no âmbito das TIC para apoiar como por exemplo Moodle, Página Web das Escolas, e afins.
Será que isto irá trazer assim tantos benefícios? Ou vão obrigar os professores de todas as disciplinas a utilizar os pc's dos alunos para rentabilizar o investimento?! As salas estão hoje todas preparadas para utilizar esses pc's? Estão os programas das diferentes disciplinas adaptados às novas tecnologias? Que tempo têm os professores para preparar materiais recorrendo às novas tecnologias e colocá-los disponíveis em plataformas como Moodle's e afins?
Tenho que concordar com o meu "amigo" ovoestrelado que em determinadas situações tenho saudades do giz. Quanto às aulas serem seca com o giz tenho a dizer-vos que todas as aulas são seca, todas sem excepção, isto porque já os ouvi queixar que não fazer nada é seca, ir à net sem ser para sacar é seca, ter que ler o que está na Net é seca, passar textos e formatar documentos é seca, criar páginas Web é seca, Educação física cansa, História dá sono, enfim nada é bom nada é positivo. Pudera, é tudo tão fácil de fazer e conseguir agora que é uma seca ter que andar na escola, basta aparecerem no exame final e com jeito ainda temos que os ir buscar a casa e pedir por favor.
Tenho também que admitir que tenho conhecido alunos muito interessantes e que felizmente não têm esta visão das coisas e têm muita noção dos riscos que enfrentarão no futuro deles se não se puserem finos. A todos eles os meus votos sinceros de muitas felicidades e muito sucesso e que não desistam nunca de querer ser melhores. Quanto aos Eng.’s politizados que pensem antes de construir a ponte porque se ela cair com muita gente em cima o caso pode ser muito grave.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Ora vejam

Aqui ficam alguns vídeos que falam aquilo que o governo não assume. Já disse aqui que não tenho qualquer partido mas como sei a investigação que esta Senhora tem feito no seio das escolas e dos seus intervenientes e conhecedores, aqui ficam alguns vídeos que alguns deveriam ver.
E já agora leiam este relatório:


terça-feira, 16 de setembro de 2008

Venham todos às Feiras Novas





Porque o povo gosta é de festa venham todos às monumentais festas do Alto Minho, as verdadeiras, as únicas as Feiras Novas. Dia 20,21 e 22 de Setembro cá estaremos pra mais um vira...

Tertúlia

Ontem um pouco por acaso fui parar a uma tertúlia organizada pelo PSD, no auditório da Câmara Municipal cá da terra, sobre os novos modelos de organização escolar e a passagem de grande parte dos poderes para as câmaras municipais.

Em primeiro lugar questiono-me porque o Sr. Dr. responsável pelo pelouro da educação e cultura não se mostrou presente uma vez que apesar de organizado pelo PSD é sempre interessante quando há um debate de ideias numa temática que lhe devia ser de interesse.
Por outro lado questiono o que lá fui fazer se saí de lá (e tenho que confessar que não aguentei até ao fim) com a sensação que tudo não passa de profunda demagogia/treta.
Eu digo-vos onde estão os problemas das nossas escolas de forma simples e directa.
Como Dr. Pedro Duarte do PSD disse no nosso país entre os 25 e 34 anos existem 40% de pessoas com o ensino secundário. Ora é fácil de ver que temos uma grande percentagem de pais sem qualquer preparação para dar o apoio necessário aos filhos e não digam que não é importante. Não sendo suficiente, grande parte desses pais vivem de subsídios e rendimentos auferidos por nada fazerem só porque nasceram pobres e continuarão pobres porque até pode ser confortável. Mais grave que tudo isto, no antigamente, os pais eram pobres e com pouca cultura mas tinham a noção de educação, hierarquias, respeito pelos mais velhos e por aí adiante, os professores eram ícones nacionais, vistos pelas crianças como alguém ao qual tinham que dedicar todo o respeito, alguém que podia dar-lhes algo mais nas suas vidas. Aquele algo que os pais não tiveram e eles podiam vir a ter.

Que adianta tantas oportunidades se são oportunidades falsas, ilusórias, desrespeitantes para as partes envolvidas?!

Temos sim que mudar este panorama, mas podem dar cursos a toda a gente que tanto PS, como PSD e todos os restantes membros da nossa assembleia sabem que só irão conseguir quando derem aos professores e às escolas o crédito de rigor que sempre tiveram, associado a isso oportunidades de emprego, prosperidade, coisas que têm faltado a quem se tem dedicado a querer ser melhor.

Para quê dedicar 25 anos da minha vida a estudar, a querer ser melhor se podia bem ter começado a trabalhar com 14 anos, já ter casa, família e emprego fixo, tirar o 12º em 3 ou 6 meses e depois quiçá um curso superior. Não, feita parva optei por querer ser mais alguém e não tenho nada, tenho um canudo que nem 1000€ vale por mês, não posso comprar casa porque não tenho emprego estável e fixo, constituir família e pró ano ir trabalhar pró Algarve ou Angola. Como dizia o tal Dr. Pedro Duarte isto não é genético mas é sina só pode.

Somos um país de tristes que achamos que somos bons, não passamos de uns coitados. Esperem uns 10 anos para ver como vai ser quando esta massa bruta nos começar a governar, quando começarmos a ter médicos, enfermeiros, professores, engenheiros de novas oportunidades, de currículos alternativos e adaptações curriculares.
Sim porque olho prós políticos à minha volta e salvo rara excepção foram excelentes estudantes membros de associações de estudantes, taberneiros e altamente sociais mas que pouco ou nada fizeram a não ser garantir os seus lugares de poleiro junto dos que mandam, daí eles serem a favor de oportunidades, coisas que certamente nunca lhes faltou. Não concordo com um outro Dr que lá falou, que disse que há bons políticos, que eles não são todos iguais. Apresentem-me um diferente que eu retiro o que digo aqui.
A minha geração rotulada rasca e à rasca está hoje a ter o reflexo dos pais e governantes rascas que muitos tinham na altura e a gravidade não era tanta como a de hoje. Geração à rasca que muitos são hoje pais e mães à rasca. Que futuro garantem a estes jovens(pais e filhos)? Que oportunidade de futuro lhes/nos querem dar? Digam a verdade por favor....
Quanto a passarem parte do poder para as Câmaras só vejo vantagem se as mesmas fizeram das escolas centros de qualidade e poderem em conjunto dar às comunidades locais pessoas com formação nas áreas que irão dar mais valias à região e zonas limítrofes. Tipo se precisamos de pedreiros formar pedreiros, se precisamos de electricistas formar electricistas, se precisamos de energias renováveis, formar técnicos. De forma a dar às pessoas da terra oportunidade na terra de poderem cá trabalhar, fazendo algo de útil.
Nota: Isto não tem nada a ver com partidos políticos(não tenho nenhum), tem a ver com a falta de sumo que se tira destas coisas. E o meu desabafo prende-se com a falta de ideias, nada vi de novo lá que toda a gente ligada ao assunto ou minimamente informada não tenha visto. Nada vezes nada. É só esse o problema.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008