quinta-feira, 8 de outubro de 2009

...


Afinal que idade é essa a dos porquês? Será que alguém me sabe dizer?

Eu estou sempre com esta palavra no pensamento nos últimos meses. Porquê?!
Sinto-me metida num turbilhão de emoções, pensamentos, vontades. É uma luta constante para pensar no sim, no que eu quero, no que eu mereço, no que eu preciso e depois vejo o tempo, as circunstâncias, os medos provocarem uma nuvem de mágoa e dor.

Ao longo destes anos tenho passado por uma série de processos de reconstrução do pensamento, de luta contra os meus fantasmas, sinto-me vence-los mas não a derrotá-los, pois assim que me sinto lá no topo vem um e paira sobre o meu pensamento.

Grito incessantemente pelos meus desejos, escrevo-os, publico-os, partilho-os.
Preciso de paz, sinto-me perdida no meio dos meus pensamentos. Sinto-me egoísta por um lado pois agora que consegui um dos meus maiores desejos, sinto-me magoada por outro, pois a vida prega-me uma rasteira e dá-me o meu outro maior desejo mas coloca-lhe condições, põe-no à prova, testa-o até ao limite.

Como se gere isto?
Gui como se faz, como se luta contra os fantasmas? Como fazemos o Cosmos acreditar nos nossos desejos e não ouvir os nossos medos? Tenho medo que ele me ouça...

Falta-me o ar!!!

3 comentários:

Guilherme Faro disse...

Aninha acabei de te responder por e-mail.
beijo

ALFF disse...

Oi amigo,

Não recebi nada...

O ovo estrelado disse...

...como se luta contra fantasmas!? fazendo-os acreditar que a nossa alma é mais forte e corajosa do que o medo que eles nos querem impôr!