segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Dá que pensar!!!

Segundo as últimas notícias, nos Açores, verificou-se um índice de abstenção superior aos 53 por cento.
Que povo é este que vê um Mundo em crise, um País em crise e nada pensa em fazer para melhorar a sua situação?
Será que esta gente não percebe que assim ficam a sobrer as consequências da escolha de alguns. Com que moral vem depois este povo reclamar quando nem se dá ao trabalho de ir votar.
É deprimente verificar a inércia deste povo para as coisas que realmente interessam. Se fosse pra ir ver o Tony Carreira (que não tenho nada contra note-se) nem pensavam duas vezes.
Enfim!!!

9 comentários:

O ovo estrelado disse...

...não concordo! Votar é um dever cívico, não é uma obrigação nem um fardo. Qual a diferença entre votar em branco, nulo ou simplesmente não votar? É uma questão de estatística. Ao não votar os açorianos na sua esmagadora maioria estão a critícar o poder político, as ideias políticas, e acima de tudo aqueles que dão voz a essas políticas. Se não há comunhão de ideias, nem vagas de fundo que mobilizem o eleitorado, é sem dúvida um péssimo sintoma e uma chaga que fica aberta. Cabe sim aos políticos diagnosticar o porquê da desmobilização e combater as suas causas. A esse respeito o Saramago escreveu um romance bastante interessante: Ensaio sobre a Cegueira. É um livro que te recomendo [caso gostes]. Já te perguntaste o que seria dos políticos se por hipótese académica, ninguém ou quase ninguém votasse?...

NOTA: eu nunca faltei a uma votação ou referendo, inclusivé cheguei a antecipar o fim de férias para exercer o meu direito, mas digo-te com toda a franqueza: triste o povo que tem como políticos aqueles que hoje em dia nos cegam com tanta falta de lucidez!

O ovo estrelado disse...

CORRECÇÃO:

...oops não foi o Ensaio sobre a Cegueira, tirei o livro certo da minha estante mas escrevi o livro que estava ao lado [tenho todos os do Saramago, e são todos iguais]

é o Ensaio sobre a lucidez

Ana disse...

Pena desta vez não estarmos de acordo, mas acho que faz parte. Não me parece que as pessoas não adiram ao voto pelo descontentamento, se fosse assim mobilizavam-se ainda em maior número. Não me parece efectivamente que seja a mesma coisa não votar ou votar em branco. Se todos lá tivessem ido e votado em branco era motivo para novas eleições uma vez que 53% ou mais da população não lhe agradava nenhum dos seus futuros representantes.

O ovo estrelado disse...

...eu dei-me ao trabalho de ir ler a Lei Eleitoral da Ragião Autónoma dos Açores relativamente ao caractér vinculativo do acto eleitoral e mesmo supondo que votou menos de metade da população inscrita nos cadernos eleitorais, as eleições são válidas. Também consultei a versão mais recente da Constituição da República e apenas no n.º 11 do Art.º 115ºé dito que:"o referendo só tem efeito vinculativo quando o número de votantes for superior a metade dos eleitores inscritos no recenseamento." Ou seja essa regra só se aplica nos referendos, contudo e olhando para a tristeza de classe políca que temos surgem algumas peripécias engraçadas, lembraste do sketch do Prof. Marcelo dos Gatos Fedorentos?
- Nas eleições presidenciais de 2001, a abstenção foi superior a 50%, e para o parlamento europeu 2004, foi superior a 60%! Alguém se atreveu a pôr em causa ou contestar a legitimidade dos eleitos saídos destes actos eleitorais?! Não.

- Nos referendos de 1998´(despenalização da interrupção voluntária da gravidez) e, agora, no de 2007 (novamente o aborto, a abstenção foi igualmente alta mas a não vinculação deu em vinculação, ou respeito pela vontade maioritária dos que acederam votar? Alguém contestou? Não
Daquí se extraiem duas conclusões simples:a própria comunidade política não leva muito a sério esta vinculação, pelo menos sempre que assim lhe convém e que a abstenção é um voto estratégicamente útil. Queres um caso muito simples: é como numa assembleia condóminios, não é pelo facto de ninguém lá aparecer, por desinteresse, desleixo ou qualquer outro motivo, que se vai deixar de decidir aquilo que tem de ser decidido!

End of discussion...daqui a bocado estamos a atirar cadeiras um ao outro!

Ana disse...

Desculpa mas tás a concordar comigo. Se por acaso as pessoas se dessem ao trabalho de ir votar e dissessem não redondo aquilo que não querem não acontecia essas cenas estupidas k acabas de referir, vinculando a opinião das maiorias minoritárias. Eu gostava de ver toda a gente a ir votar e deixar os votos em branco como é k isso ia ser. Vê lá nas tuas papeladas se sabes o que acontecia e diz-me depois :)

O ovo estrelado disse...

..concordar não diria, digamos que soube dar a volta ao texto. Seja como for enviei um mail para o CNE, talvez alguma alma brilhante me responda lá para as calendas!!

..eu tinha uma questão para a sra. professora que é a seguinte: é verdade que ao abrigo do novo Estatuto do Aluno, a partir de um determinado limiar de faltas, o aluno é obrigado a fazer um exame e caso chumbe nesse exame, chumaba automáticamente à disciplina? por hipótese académica, um dos teus alunos faltou devido a um internamento. Essas faltas são justificadas, mas são faltas, passaram-se duas semanas e quando regressa às aulas o que é que lhe acontece? Faz de conta que estamos no início do 2.º período (no meu tempo chamava-se assim), se chumbar o que é que realmente acontece?
Vá, vê lá nas tuas papeladas se sabes o que acontecia e diz-me depois!!

Anónimo disse...

Não concordo, e se isto continua como está, o povo cada vez vota menos e sabe porquê srª Ana ? Porque tem mais que fazer que tirar um diazinho para votar, isso é coisa que politico faz, porque não faz mesmo nada a não ser pavonear-se gastando as suas despesas de representação, enquanto finge que sem abrigo não existem estacionando em sitios proíbidos sem levar multas, etc a lista n acaba.

Sabe o que é um político hoje em dia srª Ana ? Não é alguém que preza pelo bem estar da comunidade , mas sim um Homem de negócios.
A classe política usa o governo português para estagiar e ganhar reconhecimento, para depois receber convites para gerir em grandes empresas. Já para não falar de lobyes e chantagens (a lista n acaba outra vez)

Votar é perca de tempo e NÃO é um dever . Votar aqui em Portugal ou em qualquer lado em que se acredite numa democracia é dar mais poder a quem já tem poder, chega, estamos todos dispostos a votar sim, mas em quem queremos, por exemplo um político que dê o exemplo e abdique das despesas de representação e do salário, para ganhar o salário médio. :) Ou então um primeiro ministro que ao menos prove que tirou o curso sem recurso a subornos.

ana disse...
"Se fosse pra ir ver o Tony Carreira (que não tenho nada contra note-se) nem pensavam duas vezes. Enfim!!!"

Ao menos o Tony Carreira só lhes vai ao bolso uma vez ;) e sempre dá um espectáculo.

Vamos deixar de ser hipócritas sim ?

ass : João

Ana disse...

Bem não poderia deixar de responder a este Sr João que de forma subtil me classificou de hipócrita. Para tratar mal em primeiro lugar assumam-se.
Vamos lá saber quem é hipócrita porque não deixa de ser verdade o que disse quanto aos politicos empresários, mas sempre há uns melhores que outros. Não se esqueça Sr João que são esses empresários que decidem o seu futuro e o dos seus filhos se é que os tem.

Ana disse...

Quanto ao simpático ovo estrelado terei todo o prazer em transcrever a legislação que ainda hoje vi mas que obviamente não sei de cor.