quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Acordo ortográfico


Podemos todos ajudar

De fato, este meu ato refere-se à não aceitação deste pato com vista a assassinar a Língua Portuguesa.

Por isso... Por não aceitar este pato... Também não vou aceitar ir a esse almoço para comer um arroz de pato...


A esta ora está úmido lá fora... Por isso, de fato lá terei hoje de vestir um fato...



Concordas com o modo de escrever acima exemplificado?

Se não concordares, clica no link seguinte e assina:

3 comentários:

Anastácio Soberbo disse...

Olá, gosto do Blogue.
É bonito e bem feito.
Adoro Ponte de Lima.
Um abraço de;
Soberbo

faro disse...

Pois é Aninha. Aqui no Brasil nós também somos contra esse acordo ortográfico. Perde-se muito da identidade de cada povo com essa mudança. A língua é "viva" e portanto segue os hábitos e a tradição de cada povo. No nosso caso, mudarão algumas coisas que farão diferença na hora da escrita.
Sou contra.
Ex: vocês escrevem facto, actor, óptimo e etc. Já nós escrevemos fato, ator, ótimo. Suprimir acentos e outras mudanças. Sinceramente, não faz sentido essa mudança ortográfica.
Aqui no Brasil está um rebuliço danado.

beijos

O ovo estrelado disse...

...a língua é uma floresta! quanto maior a diversidade maior a beleza paisagística, maior a riqueza genética. Todos diferentes mas todos iguais. Este Acordo é um eucaliptal, um terreno árido que seca a poesia das palavras de Camões a Pessoa, de Mia Couto a Carlos Drummond de Andrade. É uma tela em branco que apaga a memória escrita pelo correr dos tempos. Uma língua não se impõe por decreto nem se legisla, constrói-se e renova-se ao sabor dos versos que o tempo não apaga. Todos os dias renasce em qualquer coisa de belo.

"Minha pátria é a língua portuguesa. Nada me pesaria que invadissem ou tomassem Portugal, desde que não me incomodassem pessoalmente. Mas odeio, com ódio verdadeiro, com o único ódio que sinto, não quem escreve mal português, não quem não sabe sintaxe, não quem escreve em ortografia simplificada, mas a página mal escrita, como pessoa própria, a sintaxe errada, como gente em que se bata, a ortografia sem ípsilon, como o escarro directo que me enoja independentemente de quem o cuspisse."

Bernardo Soares, in "Livro do Desassossego"

...mas infelizmente por mais vozes que se façam ouvir a vontade alguns idiotas sobrepôr-se-a à vontade de todos nós...por mim nada vai mudar. Eles é que não sabem o que dizem, muito menos o que escrevem!